quarta-feira, 4 de julho de 2018

O que se há de fazer?

Que é a morte?
Pra muitos,procura.
Pra muitos,um fim.
Pra muitos,recomeço.
E sabendo de um jovem,barrado,por um ataque cardíaco ... questiono:
Há pessoas,que ultrapassam limites.
Há aquelas,que testam-se em limites.
Há aquelas,que desafiam-se, através das quebras de limites.
Hoje um jovem morreu.
Alcoólico-dependente.
- Perdeu-se?
Levou consigo suas dores,seus desajustes,seus prazeres,suas euforias,suas melancolias.
A cada tempo,um amarre.
Em cada tempo,censurado por si mesmo,na lucidez.
Ou,censurado pela sociedade e familiares.
Hoje penso no seu ciclo de vida.
Penso em sua mãe,em sofrimento,há anos.
Na dor do hoje,quando ele parte.
Nas dores dos "ontens",que vivenciaram.
Um suicida?
Creio,que a cada dia.
Mistura de remédios para suas convulsões e birita.
Não combinam,não é mesmo?
Para nós conscientes, em sobriedade,não.
Para ele,em sua fragilidade e fraqueza,podia.
Apiedem-se!
Dependente não é "bandido".
( Tem uns,que até se tornam ... pra bancar seus vícios... mas aí é outra história,a ser discutida.)
Falo da visão intolerante,que se lança a um dependente,seja químico,alcoólico,emocional ... de qualquer natureza.
Muito falta.
Muito falta a ser feito por eles ...ou para não se tornarem eles.
Muitos reajustes ...
Há muitos medos.
Muitas intolerâncias.
Muita falta de peito para enfrentar "fornecedores" dos "prazeres"!
Muitos comodismos familiares.
Muitos abandonos às lutas.
Muitos cansaços.
Há uma luta diária,dos dependentes e co-dependentes.
E há faltas de lutas,também.
Apiedem-se!
Cabem cobranças?
Sim.
Cabem caminhos possíveis pra reabilitações?
Sim.
Cabe,amor?
Sim.
Só não há de se tolerar,tanta dor.
Se você que me lê,tem um dependente familiar,um amigo ... um amigo do amigo ...
tente ajudá-lo.
De que maneira?
Tente,invente!!!!
(Tudo é preciso.)
É preciso que se acorde nele,dependente,a escolha e o querer superar,a dependência.
Cabe-nos amor,paciente e perseverante.
( Que não é uma tarefa fácil.)
Que não se percam vidas.
Que a morte seja um processo natural,e não seja uma busca,por insatisfações.
Deixo aqui,meu amor solidário a todo e qualquer ser em sofrimento.
E minhas orações,ou vibrações.

Tata Junq

quarta-feira, 16 de maio de 2018

SOBRE A DOR.

                                                           ( Imagem por pesquisa./ Google.)

Sobre a dor.

A dor é de quem sente.
Não há como mesurar.
Nem cavocando buraco,chega-se ao fundo.
Não há limite.

A dor que sinto é minha,não sua.
A dor sua,não é minha.

Então,perdido em dores,está,ou esteve,ou estará um dependente.
Doente,em dor.
Assim,estará,perdido em dores,ou esteve,ou está,ou estará, o codependente.
Igualmente,doente,em dor.

Creio,na mãe e no filho.
Creio no filho e na mãe.
Creio nas dores travadas diariamente.
Coração de mãe,sangra.
A do filho também.
Corpo da mãe adoece.
Corpo do filho também.

Que seria do mundo,se mãe não fosse parideira?
Em dor,seu filho vem ao mundo.
Em dor,quando o filho perde para o mundo.

*Não menciono outros membros familiares,menosprezando suas dores,no entanto.

Mas a simbiose Mãe & Filho,foi patenteada,coerentemente.

Embalar um filho em choro,por não saber ainda se expressar,é tentar dar o consolo,e ciência do responsabilizar-se da descoberta do desconforto ou da dor.
O ventre,deixou de ser abrigo,alimentador.
E a vida segue ... o filho cresce,adolesce,adulto torna-se e também um dia envelhece.
E se no percurso se perde,mãe quer dar colo,arrancar a dor que muitos menosprezam.
Vezes se perde,em noites semi dormidas, ou não dormidas,em orações e apelos ao Divino.

Lembrando que um dependente químico ou alcoólico,estará à mercê de tudo que seja ruim.
Lembrando também,que se torna marginalizado e vezes um marginal.
Lembrando,que torna-se escravo das drogas,que consome.
Que tem prazeres sequenciais,que no fundo,no fundo,preenche um vazio ou uma provável dor do não resolvido internamente.
Admitamos,é um sofredor.
Um doente sofredor.

Mãe sofre,mãe acolhe,mãe cobra ... mãe em dor.
Quisera ela ser tudo diferente.
Em suas lutas,permanece amor.
Em suas indignações,há amor.
Amor e dor,que não há como mesurar.

A sociedade cobra.
Critica.
Menospreza.
Muito fácil desdenhar a dor alheia.
Ou ter olhar-de-noticiário,banal,costumeiro.
Mais um e mais uma.
Como se fizesse parte da vida o tráfico,as drogas,as vidas frustradas,as mortes,os fracassos,os fracassados.
Há uma visão  conturbada do que se estabelece.
Não há heróis,nem heroínas.
Há bandidagem,bandidos,doentes.
Há o mal que se espalha ...mas nem sempre espelha.

O dependente cai,levanta por vezes,recai,cai,cai,cai .... poucos se levantam.
(Poucos são os que permanecem em sobriedades.)
Fica à mercê de que o escraviza,do escravizador.
No torpor.
Ahhh ... a mãe ... se fosse dona-do-mundo,jamais permitiria,ver seu filho ou os filhos dos outros,ou filhos dos filhos,em dor.

Abandono meu olhar na janela entreaberta de meu quarto.
Há claridade lá fora,um solzinho ameno.
Tendo ciência de obscuridades.
Há um ser lá fora,perdido,de certo.
Muitos seres. Muitas dores.
Muitos filhos e mães.
Muitos julgamentos,tão poucas ações.
Tantas clarezas e obscuridades.
Tantos menosprezos e  ou indiferenças à dor de um semelhante.
Tantos horrores.
Tantas mortes.
Tantos espertos,vampirizando o fragilizado.
Tantos traficantes e tantos traficados.
Caminhos planejados.Tantos envolvimentos.
Tantos poderes!
Tanta bandidagem!
Tantos mortos ou matados.
Tantas dívidas e endividados.

Mãe sabe bem que droga,de qualquer forma,mata!
Seria incoerente,ela gerar vidas e não lutar por elas.

Mãe,chora,ajoelha e reza,todos os dias e quer seu filho de volta!

CO DEPENDÊNCIA & DEPENDÊNCIA
Disso,falo agora.
E não subestimem minhas dores.
SOU MÃE!!!!

Tata Junq

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

MANIPULAÇÕES / Importâncias das Palavras & Ações




( Pesquisa por imagem // Google )

As palavras, em"tropeços",parecem se perder em escadas,degraus ...
Catastroficamente,arrebentam...fazem tombar.
Assim,palavras impensadas ... ou,certeiras ...ou,ludibriantes.
Fico impressionada com os desalinhos ...
Não recomendo as impensadas,as certeiras,intencionais,que são espontâneas,previsíveis e claras. Mas abomino,as ardilosas,mentirosas,arquitetadas.
Caem e carregam pessoas,escadas abaixo.
Criminosamente,machucam.
Vezes,mostram caminhos suaves,através do envolver,nas desculpas tramadas,pra não perderem-se focos.
São como adestramento de cães.óbvias palavras,e comando certo.
Comando,pra não haver distâncias e manter-se controle de uma situação.
Egoísmos,apenas?
Creio, que também.Mas,mais que isso,covardia,autoafirmação e falta de caratismo,acima de tudo.
Há quem nasceu pra manipular.
Doentio isto,assustador e nojento,simultaneamente.
Dependências emocionais,são assim.
Dependentes,vivem das migalhas ofertadas,na maioria das vezes,tão bem elaboradas.
Não faço distinções,homens ou mulheres,não importando suas escolhas sexuais em seus relacionamentos.E,falo também,do conviver socialmente.
MANIPULAR,é criminoso. E,DEIXAR-SE LEVAR,é doentio.
Quem cuida de que?
Quem cuida de quem?
As avarias emocionais e físicas,precisam de cuidados especiais.

****AMEM-SE!!!!*****
***** PROCURAR APOIO ******.

Tata Junq

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

REPENSAR: ACEITAÇÃO.




Nestes dias ... falei com duas pessoas sobre o reencontrar-se...ou um encontro corajoso,com a alma.
Creio que somente entendendo nossos anseios,desordens,mágoas,tormentos ...o "desentender" nosso,conosco e com outros ... possamos começar nossos acertos de contas.
Onde erramos? 
Onde erraram?
Por que nos perdemos no percurso?
Onde acertamos?
Onde acertaremos,se formos capazes?
A resposta não está no(a) outro(a).
O(A) outro(a),não é nosso cabide vivencial.
Na vida,somos responsáveis por cada ato,maduro ou imaturo,consequente ou inconsequente.
Se há um destino,não sei.
Mas sei que o modificamos,através das nossas escolhas ...
E não culpemos o Altíssimo ...ou clamemos para que Ele modifique,o que corrompemos.
Qualquer mudança,vem de dentro pra fora e possíveis atos.
E,que sejam reconstrutores!
E,que sejam corajosos!!!
E,que aprendamos a ser capazes.
E,que queiramos ser felizes.
E,que aceitemos o que não pode ser modificado.
E, que lutemos por aquilo que podemos,ainda,mudar.
Mas mais que qualquer coisa,que sejamos pacifistas.
No encontro da alma,que encontremos,PAZ!!!!!
Aí,estaremos prontos para o convívio com o(a) outro(a).
E,assim ...estaremos prontos para não sermos mais cobradores do (a) outro(a).
Aceitarmo-nos!
Aceitarmos o(a) outro(a)!
Se somos limitados,por quê a crítica ou cobrança do limite do(a) outro(a)?
Tarefa difícil,meu amigo,minha amiga!
Sentemos no banco da escola,da vida!!!!
Aprendamos!
Sabe,creio em três atos,fundamentais: RESPEITAR,PERDOAR,AMAR.
( A MIM,A OUTREM.)

Tata Junq

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Do Projeto,AJUDA: AMOR DE MIM A MIM.


                                                 ( Há uma referência,lado esquerdo / autoria de imagem.)
 AMOR DE MIM A MIM
( Necessário.)
(Conselho,apenas.)
( Menos dor.)

**********************************
No ar,
o pó.
No mar,
o lixo.
No rio,
a lama.
O jardim,
sem nenhuma flor.
A Alma,branda otimiza qualquer visão.
A tumultuada,faz da natureza,caos.
Assim a depressão.
A alma se encolhe,temerosa,angustiada,insatisfeita.
O bonito,o perfeito,o atingível como ideal ...somem.
Alma precisa da calma.
Atingir a calma é trabalhar o psíquico.
A busca do eu,o profundo,lá no fundo,não é uma tarefa fácil.Mas também,não é impossível.
Primeiro,é reconhecer o domínio da insatisfação e o aprisionamento que exerce.
Se "caminhar sozinho" é difícil,reconheça que precisa de ajuda.
Busque.
Há maneiras para,e pessoas especializadas.
Reconheça e assuma.
E,passe,passo a passo,a conhecer suas dificuldades,e o livramento de cada uma,acontecerá.
E,à sua volta,poderá reconhecer com o olhar físico,todas as belezas,desde as mais simples.
O olhar-da-alma,será sereno, e o belo,reconhecerá.

Tata  Junq

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Do Projeto:Palavras ao Vento: O Brilho.









Sim! Mas tenho tolerâncias e amor...a quem por ventura,caminha ainda "nas trevas"...
Somos aprendizes e não perfeitos!
Muitas vezes, seja lá por qual motivo, deixamos de brilhar ... e, nem é por vontade própria...consequência das "dores",também vezes, não "trabalhadas"...
Mas há o "despertar-brilhante",exibido por vontade própria ou através da ajuda de um "alguém".
Sejamos,com nossa ínfima luz,"Lanterna" a quem precisa de ajuda.
( Sugestão apenas ...)
Boa noite!

Tata Junq